Você já percebeu que dirigir é quase sempre uma atividade de risco? O Brasil praticamente lidera as estatísticas de acidentes de trânsito em todo o mundo.

Para minimizar os riscos, cada motorista deve ser responsável e proativo o suficiente para mudar essa realidade — e a melhor maneira de fazer isso é conhecer e colocar em prática as regras básicas de segurança.

Assim, desde a manutenção do veículo até sua efetiva utilização no trânsito, há muito que pode ser feito. Acompanhe este post e conheça 6 boas práticas de segurança com carro.

1. Atenção com a manutenção preventiva

A manutenção preventiva é o cuidado antecipado que se tem com determinados aspectos do veículo para evitar que ele apresente alguma irregularidade. Para fins de segurança, listam-se entre as principais boas práticas de manutenção:

  • Alinhamento e balanceamento das rodas;
  • Verificação das condições da correia dentada;
  • Avaliação do sistema de freios (fluido, discos e pastilhas);
  • Troca do filtro e do óleo do motor;
  • Verificação das condições dos limpadores do para-brisa;
  • Checagem das lâmpadas do veículo (farol, freio, lanterna e pisca-pisca).

2. Cuidado com os pneus

Um cuidado especial deve ser tomado com os pneus quanto ao seu desgaste. Observe o consumo físico da banda de rodagem do pneu: veja se é regular por toda a superfície de contato com o solo ou se existe algum desgaste mais para um lado. Desgastes irregulares geralmente indicam necessidade de regulagem da roda.

Além disso, verifique a calibragem periodicamente. Confirme no manual do veículo a pressão recomendada e procure mantê-la sempre dentro dos valores indicados.

3. Presença dos itens de segurança obrigatórios

Alguns itens de segurança são obrigatórios nos veículos por força da legislação brasileira. Duas razões, portanto, para verificar sua presença e condições adequadas: a sua segurança e o cumprimento das exigências legais. Destacam-se:

  • Cintos de segurança;
  • Estepe (roda sobressalente);
  • Macaco;
  • Chave de rodas;
  • Triângulo sinalizador;
  • Extintor de incêndio.

4. Disponibilidade de uma maleta de primeiros socorros

Não se trata de um item obrigatório, embora tenha sido durante 1 ano (até 1999). No entanto, manter uma maleta de primeiros socorros no veículo constitui iniciativa de segurança recomendável — inclusive por socorristas profissionais.

Kits de primeiros socorros podem ser adquiridos já completos nas farmácias ou podem ser montados. Os principais itens são:

  • Compressas de gaze esterilizadas e embaladas;
  • Algodão;
  • Esparadrapo;
  • Curativos tipo band-aid;
  • Tesoura;
  • Pinça;
  • Frasco de antisséptico (para desinfetar);
  • Antitérmico em comprimidos ou gotas (para reduzir a febre);
  • Analgésico (para aliviar a dor);
  • Luvas de látex descartáveis.

5. Prática da direção defensiva

direção defensiva é, antes de tudo, preventiva. Assim, ao prever situações de risco, é possível evitá-las.

Desse modo, algumas práticas importantes de direção defensiva podem ser relacionadas:

  • Não dirigir com sono;
  • Não dirigir após beber;
  • Garantir a manutenção do veículo em dia;
  • Dirigir com as duas mãos no volante;
  • Manter a atenção no trânsito;
  • Manter distância segura do veículo à frente;
  • Reduzir a velocidade em caso de chuva ou neblina;
  • Obedecer as regras e a sinalização de trânsito.

6. Seguro veicular

Uma das primeiras medidas de segurança que devem ser tomadas é a contratação do seguro do seu carro: é a sua garantia de não ver indo embora o esforço investido na aquisição do veículo.

Assim, além dos riscos envolvidos com acidentes no trânsito — desde pequenas batidas até grandes colisões — existe ainda o risco de furto ou roubo de carro, cada vez mais crescente. Por isso, considere não abrir mão desse item!

Gostou deste post? Agora que você conhece algumas práticas de segurança com o carro, saiba também como sua idade influencia o seguro do seu carro!