Hoje há várias opções para quem deseja contratar os serviços de um intermediador financeiro. Cooperativas de crédito e bancos são os principais órgãos que atuam nesse setor.

Apesar de terem funções semelhantes, cooperativas de crédito e bancos possuem objetivos distintos, assim como métodos administrativos diferenciados. Por isso, é importante distinguir bem as características de cada um para optar pelo melhor serviço.

No post de hoje, mostraremos a você as principais diferenças entre essas instituições para garantir que a sua decisão seja feita de forma segura. Vamos começar?

Qual é a principal diferença entre cooperativas de crédito e bancos?

Pode até ser uma surpresa para você, mas a principal diferença entre as duas instituições não está nas taxas, mas sim no seu modelo de formação. A cooperativa de crédito é uma sociedade de pessoas, enquanto o banco é uma sociedade de capital.

Isso significa que as cooperativas estão preocupadas em gerar valor aos seus associados sem ter como objetivo primário a geração de lucro para a instituição. No caso dos bancos, sua meta principal é gerar lucro ao fechar negócio com os clientes.

Por conta disso, é comum as cooperativas se destacarem dos bancos pela qualidade de serviço e valores mais justos, já que sua preocupação primordial é o associado.

Quais são os outros diferenciais?

Produtos e Serviços

Apesar dos bancos serem amplamente mais utilizados que as cooperativas de crédito, ambos possuem serviços e produtos similares. Oferecem conta-corrente, poupança, seguros, consórcios, opções de investimento, entre outros.

Direção

  • Bancos: os maiores acionistas mandam.
  • Cooperativas: cada associado tem direito a voto.

Taxas

  • Bancos: geralmente são altas.
  • Cooperativas: podem ser até 20% mais baratas.

Preocupação social

  • Bancos: normalmente não criam prioridade local.
  • Cooperativas: voltam seus investimentos para o lugar onde está inserida.

Participação nos lucros

Em relação a este último item, no Sicoob Credijustra, essa participação nos lucros tem o nome de “sobras“. Elas representam a distribuição dos resultados líquidos obtidos pela cooperativa durante o ano entre os associados de acordo com a utilização dos serviços por cada um deles.

Fiscalização

Tanto os bancos quanto as cooperativas são autorizados a funcionar e fiscalizados pelo Banco Central do Brasil. Sendo assim, ambos integram o Sistema Financeiro Nacional.

No entanto, o Sicoob Credijustra, por exemplo, é triplamente fiscalizado. Pelo Banco Central do Brasil, por auditores independentes do Sicoob Planalto Central e por conselheiros fiscais eleitos por um colegiado de delegados.

 

Existe diferença entre cliente e associado?

Ao se tornar cliente de uma empresa, você interage com ela apenas em uma relação de consumo. Os bancos trabalham com base nesse processo de compra e venda de recursos, visando sempre ao lucro empresarial.

Cada pessoa, ao ingressar em uma cooperativa, aporta um valor, tornando-se legitimamente associada. Este aporte é chamado de Capital Social. Cada cooperativa tem suas regras quanto ao capital social e elas devem estar determinadas no Estatuto Social. No Sicoob Credijustra, a capitalização mínima é de R$ 30,00 por mês.

Além da capitalização, outra diferença nas cooperativas é que o associado tem direito de escolher seus representantes. No caso do Sicoob Credijustra, estes são chamados de “Delegados”, que dentro de um assembleia representam as necessidades dos associados na cooperativa.

Pronto! Agora você já conhece as principais diferenças entre cooperativas de crédito e bancos e está apto para avaliar qual das instituições oferece as melhores vantagens para o seu perfil de consumidor. Restou alguma dúvida sobre o assunto? Conte pra gente aqui nos comentários!